Tags: Fall Out Boy

Especial Covers Live Lounge da BBC Radio One

Live-Lounge

Hoje vamos te ajudar a aguentar essa dura rotina com lindíssimos covers de bandas que amamos! Listamos para vocês os especiais do Live Lounge da BBC Radio One Americana. Confere e depois comenta de qual gostou mais! =)

1. Kasabian – Fancy (Iggy Azalea)

 

2. Kodaline – Sing (Ed Sheeran)

 

3. Arctic Monkeys – Hold On, We’re Going Home (Drake)

 

4. Rita Ora – What Makes You Beautiful (One Direction)

 

5. Jessie J – I Knew You Were Trouble (Taylor Swift)

 

6. Ed Sheeran – Stay With Me (Sam Smith)

 

7. Fall Out Boy – Uptown Funk (Mark Ronsons)

 

8. Imagine Dragons – Blank Space (Taylor Swift)

 

9. Bastille – We Can’t Stop (Miley Cyrus)

 

10. Maroon 5 – Happy (Pharrell Williams)

 

Comente

Fall Out Boy e a busca da inovação na indústria musical

Fall-Out-Boy

A banda formada por Patrick Stump, Pete Wentz, Andy Hurley e Joe Trohman, da maravilhosa Chicago, teve o nome escolhido pelo público presente no primeiro show, que é inspirado em um personagem da série “Os Simpsons”. São 3 EPs, 7 álbuns de estúdio e 1 álbum ao vivo para contar a história e mostrar a pegada pop punk que o grupo apresenta há 14 anos. Conhecidos pelos sucessos como “Dance, Dance”, “Thanks for the Memories”, “The Take Over, The Breaks Over”, eles voltaram de um hiato de três anos em 2013 com o disco “Save Rock and Roll”.

O disco pós-hiato, que tinha como missão salvar o rock, teve participações de Elton John, Big Sean, Foxes e Courtney Love. Seu primeiro single “My Songs Know What You Did In the Dark (Light Em Up)” chegou ao 1° lugar no Billboard 100, ganhando certificado de platina triplo. O álbum trouxe polêmica, amadurecimento e uma busca por inovação na indústria musical.

A capa trouxe polêmica com a mensagem de tradição, globalização e toda representação religiosa misturados numa única imagem. A foto foi tirada na Birmânia, país que vem mostrando um aumento na popularidade da música punk por causa da liberdade gradual das restrições governamentais. Os rapazes explicaram na fanpage da banda sobre a escolha e pensamento da arte:

“Quando começamos a jornada de produção desse novo disco, queríamos achar algumas imagens que nos inspirassem. Então tropeçamos na foto do punk e do monge na Internet, e ela realmente representou o que estávamos procurando para esse álbum – a ideia de colisão entre o velho e o novo. Tradição e mudança caminhando juntos. Havia algo surpreendente a respeito. Obviamente essa é uma imagem que significa muito, pra muitas pessoas – sentimos como se quiséssemos fazer parte dessa conversa. Essas crianças representam a juventude, mudança e irreverência com as quais esperamos que as pessoas escutem nosso disco. No fim das contas, queremos apenas pegar as regras e começar tudo de novo com Save Rock and Roll.”

Save-Rock-and-Roll

Capa do disco pós-hiato da banda

O amadurecimento do grupo foi notável a cada faixa, o pop punk foi ganhando mais cara de rock punk com guitarras mais presentes como em “The Phoenix”, “Alone Together” e “Rat a Tat”.

Fall-Out-Boy-2

Em busca de inovar, o grupo mostrou o seu lado criativo de várias formas na divulgação do disco, o site deles, por exemplo, foi um dos primeiros na plataforma do tumblr onde eles escolheram por ser mais intimista com os fãs. Depois deles bandas como Cobra Starships, Panic! At the Disc e The Maine fizeram seus websites na mesma plataforma. Foi também uma das primeiras a liberar, antes do lançamento oficial do disco, streaming grátis pelo canal do Youtube. Não parou por ai, os caras inovaram na forma de trabalhar singles e seus clipes, em vez de optar trabalhar três músicas e lançar a mesma quantidade em clipes, como as bandas normalmente trabalham, eles decidiram trabalhar todas as músicas do álbum e lançar clipe para cada uma delas, desse conjunto nasceu o “Save Rock and Roll: The Young Blood Chronicles”, cada clipe se tornou uma parte de uma crônica criada pela banda que foi postado no youtube e divulgado pelas demais redes sociais do grupo. Cada clipe/episódio era postado a cada 30 dias e no final da história todas as partes ganharam formato DVD em edição limitada para os fãs.

Então, quatro caras que passaram três anos sem gravar um disco voltam ao cenário e busca fazer pequenas coisas que mudam e impressionam quem é acostumado com a mesmice, a inovação da banda começa por algo que vem ganhando cada vez mais força no meio musical, as redes sociais, desde da divulgação da capa até seu lançamento eles usaram somente o poder das redes, procurando uma relação direta com quem escuta eles, os fãs.

Assista “The Young Blood Chronicles”

Após o lançamento do álbum, o grupo relançou o disco junto com uma EP intitulada “PAX AM Days”, que continha oito músicas gravadas em dois dias junto com o compositor Ryan Adams. PAX também teve seu streaming grátis pelo youtube antes do lançamento, junto com clipe da música “Love, Sex, Death”.

PAX-AM-Days

Capa da EP “PAX AM Days”

Nesse ano os caras pretendem também trabalhar diferente seu novo álbum “American Beauty/American Psycho”, que já começou dá o que falar com sua capa. O disco será lançado dia 20 de Janeiro, aguarda que vou falar sobre ele por aqui. =))))

American-Beauty

Capa do novo álbum do grupo, intitulado “American Beauty/American Psycho”

Escuta um pouco dos caras:

Dance, Dance

 

Alone Together

 

Irresistible

Comente